segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Rinhas De Pit Bull, Ate Quando?


Mato Grosso do Sul é considerado pelos “especialistas” em rinhas de Pit Bull, o estado de melhor linhagem, ou seja, que tem os melhores cães. Rinhas são brigas provocadas entre dois animais, até que um dos donos desista ou o animal não suporte mais, chegando à exaustão ou até à morte. Criador de galos para brigas, C.C. explica que não é o único adepto dessa prática. Ele acusa autoridades como o deputado Maurício Picarelli, que está com um projeto para legalizar as rinhas de galos.
Em entrevista para o jornal “Folha Guaicuru” Maurício Picarelli nega qualquer envolvimento em rinhas e que o projeto está arquivado, pois não foi votado, mas que ele não pretende reabrir, por ser uma lei federal, complicando a aprovação do projeto.“Não tenho nada a ver com rinhas, quero legalizar, pois acho que é uma questão cultural” se defende o deputado.Ele diz que é grande o número de pessoas em Mato Grosso do Sul que têm criação desse animal pra brigas, e que então a legalização seria melhor do que a proibição, pois no seu entendimento mesmo contrariando a lei, a atividade faz parte da cultura do estado. “Realizo rinhas, sei quem participa, sei do que estou falando, tenho conhecimento” diz C.C.
Não há diferença alguma entre as rinhas de galos e as rinhas de Pit-Bul, cuja natureza do animal é brutalmente alterada, ficando confinado em lugares totalmente escuros por meses, o que deixa os animais alterados psicologicamente.É crime ambiental (art: 32-Praticar ato de abuso, maltrato, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Pena: detenção de três meses a um ano. Multa R$500,00 a R$2.000,00), mas para O.F., de 28 anos, a lei não o preocupa, pois ele vive de vender filhotes e das rinhas de Pit Bull e nunca foi flagrado. O disfarce de academias de adestramento e canis serve para camuflar uma atividade que atrai dezenas de apostadores e tira proveito da deficiência policial e da legislação branda.Ele explica que quando um Pit Bull nasce, o dono escolhe se ele vinga (se vai ser para briga) ou não é vingado só de barriga (para fazer filhotes).
“O nosso estado é sim o que tem os melhores cães, tem “Pit” mexicano, equatoriano, argentino,teve um cara que pagou R$24.000,00 em três, são cachorros importados, dólares” declara O. F. Ele ainda diz que o valor mínimo das apostas é de R$2.500,00.Os cachorros de cores mais escuras são os mais procurados para a compra.A assessoria da polícia ambiental esclarece “existem galos de outros países, é muito dinheiro que rola entre eles” .A maioria das apreensões de rinhas são desse animal, que as de Pit Bull é complicado.Ainda diz “acho que diminuíram as rinhas”, não é o que a realidade e a matéria apresentam.

RinhasÀ primeira vista, parece uma confraternização entre proprietários de cães. Mas o que se arma é um palco de crueldade. A maioria das rinhas é feitas em chácaras e marcadas na hora, o crime é organizado. Dias antes da rinha, o Pit Bull é mantido em boxes escuros, onde fica sem água e comida, submetido a estresse físico e mental, para estimular a agressividade. Existe um site que se comunicam para saber do local, é escolhido quais cães vão brigar, há as categorias como a de peso, a diferença de peso pode passar de dois quilos acima ou abaixo, contém o registro dos cães vingados, campeonatos como a mordida mais demorada e outros.No local das brigas só pode ir o dono do cão e mais duas pessoas de confiança. “Às vezes eu faço um esfrega (uma briga rápida) em casa, mas rapidinho só valendo como, por exemplo, remédio para o animal” diz O.F. que declara que alguns donos ficam com Raiva por que seu “Pit” perdeu e libera para que a rinha vá até a morte do cão.Na arena da briga de galo, o animal não pode escapar, e a luta na maioria das vezes vai até a morte. O dono do galo corta a crista e coloca substâncias dolorosas como vinagre no lugar, equipados com afiadas lâminas de metal, na altura da esporas.

Treinamento

O Pit Bull foi criado originalmente para se utilizado como cão de briga.Daí a razão do seu nome, Pit Bull em inglês significa briga com touros. A veterinária explica que o Pit Bul é alvo de tantas injustiças porque ainda existem pessoas que os criam para brigar.
Na verdade essa raça tem uma série de boas qualidades, como inteligência, coragem, devoção, obediência e lealdade. E quem conhece bem o cão sabe como ele pode ser brincalhão e bem-humorado. O .F. confessa que a cadela Pit Bull que ele tem várias vezes, já participou de rinhas, brinca com seu filho de quatro anos, mas às vezes tem medo pois à treinou para ser agressiva. De maneira geral um tratamento com muito amor e respeito é o suficiente para um bom equilíbrio do cão, completa a veterinária.

Existem várias formas de adestramento de Pit Bull e galos. A diferença é mínima do treinamento dos dois animais, tem o isolamento do animal, doses de anabolizantes e exercícios para estimular a agressividade. O O.F.esclarece “tem uma chácara que possui um caminho marcado para você passar, se ultrapassar dessa marcação o cão já te avança”. A veterinária que não quer se identificar diz, indignada, que os cães chegam até a clínica estraçalhados, na maioria das vezes com infecções.Os donos não confessam que os machucados são conseqüência de alguma rinha, mas ela já tem conhecimento e também não fala nada e receita os antibióticos.
“O prazer que se tem vendo um cachorro brigar é a adrenalina, o sangue ferve e é uma coisa proibida fica mais emocionante” diz O .F. e ainda declara que não sente dó nenhuma só quando é seu cão, mas assim mesmo coloca-o para brigar, mas quando é dos outros não está nem aí, quer ver o cão estraçalhado.

2 comentários:

vermelha disse...

caraca!!!!!!existe todo tipo de gente mesmo!!!mas seria pouco se a cachorra dele arrebentasse a filha dele!!!!eu tambem não sentiria dó nenhuma!!!afinal ela é inocente mas os animais tambem são!!!!

mas pessoas assim,só tem duas explicações...1° são ateus,porque ninguem que acredita em DEUS teria coragem de sentir prazer em ver dor alheia que seja em animais ou humanos,2° eram abusados sexualmente quando crianças e agora querem se vingar nos pobres coitados!!!!!

Vanessa Segadães disse...

Que venha a desgraça sobre a vida de quem pratica rinhas e crueldade animal. Concordo que deve ser uma pessoa que sofreu abuso ou é psicopata. Cadeia é pouco!